sexta-feira, 17 de junho de 2016

A CONSEQUÊNCIA DE UMA POLÍTICA


E de repente o clima na cidade muda. 
Todos mudam o direcionamento das conversas em suas calçadas, mesas de bar, na escola, na faculdade e até mesmo em suas igrejas.

Aos poucos os populares vão se adequando aos discursos, muitas vezes já elaborado ao longo destes 4 anos ou àqueles que à margem dos existentes, procuram trazer uma nova perspectiva política, ou tentam apenas fazer ou reforçar seu nome na cidade.

As discussões nas redes sociais começam tomar maior proporção. Muitas vezes sem argumentos bem elaborados. Quase sempre discursos ofensivos, a fim de denegrir a imagem de um possível "concorrente", a fim de parecer o mais preparado para assumir o carga almejado.  

Aos poucos vemos em toda a cidade, amizades sendo desfeitas por aquilo que chamamos de politicagem, o que para muitos é apenas a defesa do seu posicionamento político, o que poderia até ser... Porém, não entendemos defesa de pontos de vistas, uma quase batalha à espada. Não entendemos defesa de posicionamento político, a falta de bom senso em não querer e não deixar-se querer ouvir o discurso contrário. 

Não entendemos ser a defesa do discurso, aquilo que tenta-o fazer único, correto e preparado. Único e sem erros. Um discurso unânime seria perigoso, até mesmo letal.

Alguns discursos, livre de erros e tidos por quase perfeitos, hão de surgir nos próximos meses. Muitos se adequarão a eles, muitos os questionarão. Muitos ainda perderão amizades e as batalhas nas redes sociais se intensificarão. 

Eis que os jogos começaram... Eis que os alvos estão sendo mirados. As flechas preparadas já estão.
O clima nas ruas ainda mudará. Vizinhos se aproximarão, outros se distanciarão. Tudo há de acontecer...

E então, aproxima-se o momento da decisão. A democracia deverá vencer. Questionar-se-á sua legitimidade, porém seu resultado não será permanente, mas pelo menos deverá ser respeitado, pelo que ganha e pelo que perde. Pelo que ganha, ao saber que estará lá escolhido pela maioria, porém será de todos. Pelo que perde, ao saber entender suas fragilidades e tentar corrigi-las. Entender que foi confiança de alguns e saber respeitar os que nele não depositaram confiança tal. 

A política local movimento tudo e todos, direta ou indiretamente. Dos mais elucidados aos mais leigos, todos agora passam a fazer parte de um dos momentos mais importantes de Martinópole, o momento em que escolheremos os nossos representantes.

Que o façamos com responsabilidade. 

Wilton Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário