terça-feira, 15 de janeiro de 2019

EXTERNANDO-ME #004

CAMINHADA 

Sabe a caminhada?
Eu nunca disse que ia ser fácil
Nunca disse que sorriria sempre!
Mas é quando começamos que percebemos
Percebemos como realmente é difícil.

Enfrentar os obstáculos
Enfrentar pessoas e sentimentos.
Uma luta constante e sem certeza de vitórias
Cair, torna-se algo rotineiro
Formam-se muitos ferimentos 
Ficam as cicatrizes com suas marcas.

A queda pode ter sido forte
O machucado profundo
A dor insuportável
Mas eu levantei
Deixei minhas feridas serem tratadas
E de dor em dor
Elas foram curadas.

É como diz o poeta:
"Tudo que chega, chega por alguma razão!"
E até mesmo a dor
Pode um dia trazer alívio ao coração!

Wilton Lima

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

UM POUCO DA CAMINHADA

Quando descobri que a caminhada seria longa e que o percurso não seria muito agradável, fiquei indeciso!

Eu buscava conforto. Buscava certezas e sorrisos.

Fiquei frustrado ao ver um caminho diferente do qual eu sonhei e pedi. Mesmo assim, decidi ir.

Havia uma promessa que aliviava meus medos, uma promessa que me fazia esquecer as dificuldades. 

Os primeiros passos me fizeram achar que a caminhada seria fácil e prazerosa. Sorrisos e prestígio me cercavam, amigos sobravam. 

Era tudo primavera! 

Nesse momento, eu já não me lembrava das promessas, a alegria do momento era o meu foco. Porém, aos poucos as pedras surgiram e eu comecei a tropeçar. 

Meus pés se feriram e a dor começou. 

Logo os amigos partiram e ficou um vazio enorme. Achei que não conseguiria sem eles e eu estava sozinho e sem forças. 

A cada passo um novo desafio. 

Surgiu então, uma louca vontade de desistir e voltar ao momento de conforto e alegrias, onde os amigos existiam e as lágrimas não molhavam meu rosto. 

Mas não consegui! 
Continuei a caminhada. 

Por várias vezes eu cai e pensei em voltar, mas fui aprendendo a conviver com a dor, aprendendo a não depender da reciprocidade. 

Aos poucos ia entendendo que eu não precisava fingir uma identidade, bastava ser eu mesmo. 

E ser eu, me trouxe consequências inesperadas! 

Trouxe também, os verdadeiros amigos, que não fogem na angústia, que não riem da minha dor.

Aprendi a duras perdas e muitas lágrimas derramadas que é preciso continuar, alegre ou triste, cercado de amigos ou sozinho.

Aprendi que só eu posso dá meus próprios passos, mas que é bom ter alguém, que na queda, nos ajude a levantar.

Entendi que não posso sozinho, mas que alguns passos serão dados sem ninguém por perto!

Hoje consegui lembrar as promessas e elas voltaram a me dá forças e me ajudar a seguir em frente, seguir em busca da minha coroa, em busca da alegria verdadeira.

Alegria que não passa, não morre e nem se esconde.

Bom, eu sei que ainda posso tropeçar e até mesmo cair, mas eu sei que vou levantar e ser melhor! 

Wilton Lima

sábado, 12 de janeiro de 2019

CRER E PENSAR #001

UM EVANGELHO FABRICADO

Na busca por ver os templos lotados e na realização ministerial, muitos “líderes” abandonaram o Evangelho e passaram a propagar abobrinha.

Passaram a utilizar estratégias para atrair mais espectadores, esquecendo que a Palavra é suficiente para atrair o homem à Cristo. Transformaram a Igreja em uma empresa, as pessoas em consumidores e o Evangelho em um produto.

Claro que para se tornar um produto agradável a todos, foi preciso fazer muitas modificações no produto original. Como pouca coisa se aproveitava, fabricou-se então, um novo evangelho, um evangelho que agrada a quem ouve.

Um evangelho que transmite um deus que dá quando recebe e na medida em que recebe. Um deus que busca sacrifícios. A Igreja então, sendo agora uma empresa, atraiu consumidores exigentes, que não mais doam por amor, mas esperando receber bem mais em troca.

Os cultos não são mais os mesmos.

Hoje tem culto para tudo: Culto da Vitória, Culto da Libertação, Culto da Prosperidade, Culto do Descarrego, Culto da Benção, Culto das Causas Impossíveis, Culto do Avivamento e por aí vai.

Isso é feito para atender todos os gostos e demandas.

Nessas reuniões, o foco principal é o homem. Sempre vencendo e prosperando. Quando isso não acontece é devido a sua pouca fé, um pecado ou mesmo porque não contribuiu bastante financeiramente.

O verdadeiro Avivamento, alicerçado e moldado no AMOR, foi trocado por um avivamento de emoções humanas, surgindo com ele muitas heresias. 

A razão deixa de existir e o homem cheio da unção desse novo avivamento, pula, grita, roda como pião, imita animais, rola no chão, corre atrás de anjos e ri descontroladamente.

O problema desse Evangelho Fabricado é que seu efeito é passageiro e pode deixar muitas sequelas. 

Confesso que em nada me agrada e sinto até nojo desse novo evangelho. Estou farto de ver os nossos líderes trocarem um alimento saudável, nutritivo e saboroso por migalhas que nem mesmo o mais indigno entre os homens merecia comer. 

Estou farto! Quero voltar a ouvir a Palavra.

Palavra que traz vida e vida em abundância, pois Cristo é a própria Palavra e o sentido real do Evangelho Puro e Simples, como C.S. Lewis relata em sua célebre obra "Cristianismo Puro e Simples".

Que nossa oração diária seja esta, a volta da Igreja ao Evangelho Verdadeiro, Puro e Simples. E que Deus seja sempre o centro e razão da nossa vida.

Só a Deus, a Glória! 

Wilton Lima


Texto originalmente escrito no começo de 2011

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

POSSO DISCORDAR?

Discordar de uma opinião ou ação não nos torna os certos. 
Precisamos aprender a viver com as diferenças, sejam elas quais forem. Mesmo que tenhamos o direito, garantido na Constituição, em expressar nossas opiniões, precisamos emiti-las sempre respeitando a liberdade do outro.

Discordar não nos torna necessariamente um inimigo, como não nos tornarmos uma espécie de ditadores quando não aceitamos uma discordância, isto nos faz apenas pessoas sem preparo para viver em sociedade.

Discordar não é errado, não é feio.

Discordar é ser corajoso ao lutar conta uma sociedade culturalmente maltratada, decaída e aparentemente sem jeito.

Discordar não é humilhar. É ter coragem em propagar suas verdades, mesmo sabendo e tendo que compreender as divergências dos outros, que sempre existirão.

Discordar é entender a não aceitação.

Discordar é saber viver em uma Democracia cada vez mais cheia de pessoas que discordam e querem espalhar seus pensamentos. Porém, é preciso saber que a nossa verdade é nossa e não de todos, mas é também, esperar que muitos aceitem essa verdade e nos ajudem nessa tão incompreensível e complicada caminhada, de viver juntos apesar das diferenças.

Wilton Lima

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

EXTERNANDO-ME #003

TEMPOS DE ESCOLA

Hoje, ao acordar, senti saudades do meu tempo de escola, não necessariamente da minha infância, mas dos meus últimos anos do Ensino Fundamental e Médio.

Recordei de algumas pessoas que significaram muito pra mim, de professores que marcaram história na minha vida e pessoas que ainda hoje fazem parte da minha trajetória, mesmo que distantes.

A saudade me fez lembrar de brincadeiras, risos e momentos tão especiais que me fazem querer reviver tudo e querer voltar a ser quem um dia eu já fui. 

Sem tantas expectativas, tantas esperas e cobranças. Sem tantas frustrações.

Percebi então, uma grande mudança em tudo, principalmente em mim. Planos, sonhos e caminhos foram mudados, nem sempre acertados, porém, com o desejo de algo novo e com uma vontade de ser livre e caminhar sozinho. 

Essas mudanças trouxeram consequências, nem todas foram boas!

Mesmo com o desejo da volta, entendi que as novas expectativas, as esperas e cobranças, que as muitas e dolorosas frustrações, fazem parte de uma vida mais madura, mais livre e incrivelmente despreocupada. 

Construí meus próprios pensamentos. Minhas próprias decisões.

Eu escolhi e segui! Errei muito nas escolhas, mas segui em frente e me tornei quem eu sou hoje.

Quem realmente eu era ou deveria ser?

Ainda não sei, mas vou continuar caminhando, vivendo momentos que serão algum dia, sempre, desejo da volta e dignos de recordações e de grandes saudades.

Porém, sempre seguindo em frente!

Wilton Lima

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

CRÔNICAS DE UMA INSÔNIA #002

AS PRIMEIRAS PALAVRAS

Durante uma dessas muitas noites de insônia, me recordava da minha avó materna. Quando criança eu costumava passar algumas tardes na casa dela e em uma dessas tardes ela me ensinou a escrever meu nome. 

Eu era criança, porém me recordo da alegria que eu senti ao perceber que sabia escrever. Antes disso, já havia aprendido as vogais e lembro-me de escrevê-las no quadro negro com giz, no meu primeiro ano de escola. 

Desde pequeno costumava rabiscar em cadernos ou qualquer pedacinho de papel os meus pensamentos. Às vezes olhando o que escrevia quando criança e já na adolescência, vejo a simplicidade e ousadia em querer rimar tudo com tudo. 

Sim, tenho muitos desses rabiscos guardados! 

Escrever sempre me trouxe muito alívio. As minhas maiores inspirações, outrora só vinham em momentos de grande tristeza, após decepções amorosas ou traumas pela quebra de confiança. 

Felizmente hoje eu consigo minhas rimas em um simples sorriso, na sinceridade de um abraço e esperança que me transmite um olhar. 

Ainda estou na busca pelas palavras certas. 

Porém, tento e quero ter a mesma clareza e sensibilidade daquela criança para rimar as coisas mais simples da vida, para dizer o quão bom e agradável é viver e compartilhar do amor.

Wilton Lima

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

TEMPO DE SE AFASTAR

Caminhamos lado a lado de pessoas iguais a nós.

Pessoas que sonham, planejam um futuro brilhante, amam, odeiam, machucam e pessoas que nos ajudam a curar feridas.

Passamos por situações onde a vontade que surge em nosso coração é de desistir, de abandonar todos os nossos sonhos e projetos e seguir uma vida vazia e sem sentido. Situações que muitas vezes são geradas por pessoas que caminham conosco, que aprendemos a amar e compartilhar momentos marcantes. Pessoas imperfeitas e fáceis ao erro. Pessoas que precisam de nós, do nosso amor e oração!

Porém certas situações nos pedem uma atitude mais drástica: o afastamento!

E afastar-se não significa deixar de amar, não significa odiar.

Salomão ao escrever o livro de Eclesiastes, afirma existir tempo para todo propósito debaixo dos céus. Assim como existe o tempo de nascer, existe também o tempo de morrer. E há momentos que precisamos abraçar e outros que precisamos nos afastar do abraçar.

Se afastar não significa se isolar!

É simplesmente um momento de você parar, pensar e orar para que a mágoa não dê frutos.

Alguns momentos isso vai ser preciso.

Sim, se afaste, mas nunca desista!

Wilton Lima